Dor no ombro é a segunda causa mais comum de queixas a ortopedistas e acomete pessoas de ambos os sexos e em todas as idades. As causas mais comuns são ligadas a forma como usamos o ombro; portanto, exercícios físicos, condições de trabalho e boa postura são importantes na análise dos casos. Em vista disso, passaremos por algumas lesões comuns, suas causas, como prevenir e como tratar.

dor no ombro
Estrutura do ombro humano

Tendinite

Este problema é ocasionado em virtude da inflamação dos tendões. Assim sendo, é bastante comum entre pessoas que fazem atividades físicas com movimentos repetitivos, tais como natação, basquete, musculação e pintura de paredes. Para se prevenir da tendinite, alongamentos são recomendados antes e depois da atividade.

A dor no ombro da tendinite localiza-se sempre na parte frontal do ombro, com aumento da dor ao fazer movimentos acima da cabeça (tais como lavar o cabelo, colocar/tirar roupa) ou ao esticar o braço para frente.

Para tratar, primordialmente compressas geladas e pomadas anti-inflamatórias ajudarão a reduzir a dor e evitar o agravamento da lesão. Eventualmente, se a dor não passar após alguns dias, recomenda-se em seguida visitar um fisioterapeuta para avaliar o melhor tratamento.

Bursite

Igualmente a tendinite, trata-se de uma inflamação na bursa. A bursa é uma estrutura acolchoada que protege tendões, músculos e ossos do ombro durante os movimentos. A prevenção é similar à da tendinite: exercícios físicos com mais pausas e alongamentos antes e depois do esforço físico.

A dor no ombro da bursite é aguda e presente na parte frontal ou superior do ombro, com piora nos movimentos.

Para tratar, em primeiro lugar recomenda-se aplicar gelo por 15 minutos três vezes ao dia e evitar os movimentos dolorosos. Se a dor persistir, deve-se procurar um médico.

Artrite

Trata-se do desgaste nas articulações dos ombros. É mais comum em idosos, mas também acomete jovens atletas.

A dor no ombro da artrite gera dificuldade de movimento acompanhado de um inchaço local. Por isso, não é um problema temporário e seus sintomas tendem a piorar ao longo do tempo.

O tratamento na maior parte dos casos exige, principalmente, anti-inflamatórios. Por conseguinte, recomenda-se visitar um médico para obter o tratamento adequado.

Ombro congelado (capsulite adesiva)

Trata-se de uma inflamação crônica no ombro que limita os movimentos. Tem maior ocorrência em mulheres com idade acima dos 40 anos e que já tiveram o braço imobilizado. Há pouco conhecimento das suas causas, acredita-se que haja predisposição genética.

A dor no ombro da capsulite é intensa e causa grande limitação de movimentos. A limitação de movimentos é gradual.

O tratamento é feito com fisioterapia para retomar movimentos e relaxar os músculos da região. Portanto, em alguns casos há intervenção cirúrgica para tratar lesões internas em específico.

Fraturas

Apesar de serem facilmente identificadas, eventualmente há fraturas pequenas e incompletas que podem passar despercebidas e gerar sintomas de dores constantes. Neste caso, é comum que traumas na clavícula ou no úmero causem pequenas fraturas.

Frequentemente, a dor no ombro da fratura gera dor intensa e constante, inchaço e coloração roxa na pele devido a hemorragia. No caso de fraturas pequenas, apesar de continuarem sendo fraturas, a dor pode começar pequena e ir se intensificando conforme o tempo passa.

Portanto, o tratamento deve ser hospitalar e com urgência, na maioria das vezes com imobilização da região.