Como escolher a melhor mesa para home office e garantir mais produtividade no trabalho.

Você precisa de um home office eficiente e que se encaixe bem à sua rotina, um bom começo é a escolha da sua mesa. Entenda melhor os aspectos que você deve levar em consideração para que a mesa de home office te ajude a ser produtivo, melhorar seu desempenho e ainda manter o seu estilo.

Aqui está um passo a passo para te guiar na sua decisão

  1. Entenda a sua rotina
  2. Escolha a altura da mesa
  3. Conheça os formatos
  4. Defina o melhor material

Entenda a sua rotina

Ter a sua empresa no mesmo lugar que você chama de lar é, sem dúvida, um grande conforto e pode se tornar um grande aliado, além de claro reduzir seus custos. O que é importante levar em conta é que, mesmo sem bater o cartão todo dia, você precisa de uma rotina. Ao entender as suas necessidades e hábitos, você pode filtrar melhor as prioridades do seu home office. Isto faz muita diferença no seu trabalho.

Pense que o seu home office deve se adequar às suas necessidades, ser prático e ainda manter a sua identidade para que você se sinta literalmente em casa.

Photo by Rob Bye on Unsplash

 

Abaixo estão alguns pontos para se questionar e como eles podem te guiar:

  • Quanto tempo e com que frequência você trabalha em home office?
    Todos os dias, algumas atividades são feitas em home office e outras na rua, apenas em projetos paralelos após o trabalho
  • Quais ferramentas você usa para trabalhar?
    Analise o que é indispensável para você : papel, livros, computador, notebook, várias telas, mesa digitalizadora, celular, etc;
  • Quais são as atividades que você faz?
    Entenda quais ações você faz com mais frequência, como por exemplo digitar, desenhar, escrever, faz ligações-calls, pesquisar na internet.

Veja alguns exemplos aplicados para te inspirar a pensar na sua rotina para definir seus espaços:

Programador

Photo by Lee Campbell on Unsplash

 

Um programador pode ficar horas e horas criando códigos, neste caso é bom o uso de várias telas e conforto para períodos longos sem distração. É importante que a mesa respeite a altura para o teclado e tenha espaço para monitores ou telas, provavelmente não haverá necessidade de espaço para papéis e livros. Também é indispensável um espaço reservado para colocar suas bebidas sem risco de derramá-las nas máquinas, sejam elas café ou água.

Consultor, empreendedor, profissional de marketing

mesa para home office de profissionais de marketing

Photo by Norbert Levajsics on Unsplash

 

Provavelmente, esta pessoa fará anotações em papel para fazer brainstorms ou to-do lists, além disso irá consultar livros, guardar contratos, reunir cartões de visitas e eventuais reuniões.

O principal objeto usado será o notebook, portanto você precisa ajustar o tela e o teclado de maneira ergonômica, sem esquecer de ter uma mesa mais ampla para poder acessar livros e papel. Também lembre-se de reuniões presenciais, por telefone e pelo computador, pode ser que você fale em pé para dar mais naturalidade a sua voz, lembre-se de ajustar o ambiente em volta. Não se esqueça das tomadas! Muitas tomadas para carregar o celular, tablet, ipad, etc.

Designer, ilustrador, arquiteto

mesa para home office de escritórios e jornalistas

Photo by Jeff Sheldon on Unsplash

 

As demandas para quem trabalha com design são bem particulares: espaço para elementos de inspiração como painel semântico, livros teóricos, mesa digitalizadora, monitor grande e espaço para papéis e marcadores, se você for oldschool.

Esta mesa vai precisar de espaço para telas e para desenhar, seja no papel ou na mesa digitalizadora, e também movimentar para estar sempre bem acomodado a cada elemento do espaço.

Escritor ou jornalista

Photo by Gabriel Beaudry on Unsplash

 

Quem trabalha com produção de conteúdo ficará uma parcela significativa do dia digitando, então o conforto e um ambiente lean podem ajudar no foco, esta estação de home office pode ser bem prática com uma mesa, teclado, tela e, claro, o redator. Simples, direta e bem ajustada ergonomicamente para permitir mais tempo de escrita de maneira confortável e produtiva.

Você precisa entender as suas necessidades para que a sua mesa se adeque a você, não ao contrário. Uma vez feito isso, parta para a decisões mais práticas como do formato, altura e material.

Escolha a altura da mesa

Uma das grandes vantagens de ter seu próprio espaço é poder ajustá-lo perfeitamente ao seu corpo. Em empresas, por outro lado, é comum que funcionários de diferentes alturas e biotipos usem as mesmas mesas. Entenda melhor como ajustar sua mesa de home office a você e tenha um ambiente de trabalho mais ergonômico.

Há ferramentas que te ajudam a calcular a altura de maneira automática. Normalmente, há divergência entre os valores propostos por cada site. Vale ressaltar que as pessoas, ainda que com mesma altura, podem ter proporções diferentes no tamanho do tronco, pernas e braços, por isso é mais prudente verificar a altura da mesa e cadeira a partir das medidas do seu próprio corpo.

Abaixo está uma explicação de como entender a teoria e, assim, criar as suas próprias medidas ideais:

Para trabalhar sentado:

  • Cadeira: seus pés devem ficar planos no chão e com seus joelhos formando um ângulo de 90 graus e as coxas paralelas ao solo.
  • Mesa: os seus cotovelos devem fazer 90 graus para que os pulsos fiquem confortavelmente apoiados na mesa e acessem o teclado.
  • Tela: deve estar na altura dos olhos, sem que o pescoço necessite de ajustar para baixo ou para cima, normalmente com uma distância de 40cm a 75cm entre os olhos e o monitor.

Você pode usar a imagem abaixo para preencher com as medida que sejam correspondentes ao seu corpo e, portanto, mais customizadas para a sua mesa de home office.

medidas antropométricas para mesa para home office

 

Para trabalhar em pé mantenha as mesmas proporções, só retire a cadeira e calcule a altura do seu cotovelo fazendo 90 graus com a mesa na posição em pé.

medidas antropométricas para trabalhar em pé em mesa para home office

 

Além da altura, como você vai se sentar e como vai permanecer sentado também é muito importante, este vídeo abaixo pode te ajudar a corrigir sua postura em alguns cenários:

 

Conheça os formatos

Existem algumas opções mais clássicas: padrão, em U, em L e com estruturas para se trabalhar em pé, sentado ou ambos.

A mesa mais clássica:

mesa clássica para home office

Photo by Gabriel Beaudry on Unsplash

 

É prática e pode vir em vários tamanhos de acordo com a sua necessidade e rotina, é interessante, porque pode se ajustar a diferentes espaços com praticidade. Leve em conta tudo que você precisa ter ao seu alcance para calcular o tamanho da mesa, você pode trabalhar a largura e a profundidade dela para aproveitar melhor o espaço.

Mesa em L

Mesa em L para Home Office

 

Este tipo de mesa pede um pouco mais de espaço e pode ser uma ótima opção para quem usa mais de um equipamento ou tem necessidades diferentes e precisa de movimentar. Você pode montar um espaço com computadores e telas e, na outra parte do L, reservar para escrever a mão ou desenhar.

Se sua mesa fica no canto do ambiente, ela pode ser muito útil para aproveitar o espaço. Outra ideia é que a mesa seja usada para separar os espaços do seu home office. Por exemplo, um lugar para trabalhar e outro para receber clientes.

Trabalhar em pé

slik mesa para home office em pé

 

Para quem fica muitas horas trabalhando e também precisa de um gás extra de produtividade, vale separar um espaço com um mesa mais alta para trabalhar em pé, além de deixar seu ambiente mais moderno.

Você pode ter uma estação de trabalho em pé, assim pode variar a posição e também o lugar, o que costuma ser visto como uma grande vantagem para quem trabalhar em home office. Um bônus: trabalhar em pé também ajuda a emagrecer.

Mesa para trabalhar em pé e sentado

mesa para home office com altura ajustável

 

Uma mesa com regulagem de altura te permite que um só espaço tenha mais uso e também te ajude a ser mais produtivo por variar sua posição no home office.

Você pode alterar o seu tempo entre trabalhar em pé e sentado, assim o trabalho de muitas horas pode se tornar mais leve. Não deixe de levar em consideração a sua rotina para escolher o tamanho ideal de mesa.

Material da Mesa

O material da mesa pode ser dividido em 2 parte diferentes, o tampo da mesa (superfície) e os pés.Há mesas todas feitas de um só material ou com combinações, por exemplo pés de madeira e tampo de vidro, toda em MPF, aço com MDF.

Segue uma breve explicação de cada material e suas respectivas vantagens.

Madeira

No critério de madeira, há 3 principais opções a madeira maçica, MDF e MDP, que variam na sua composição e, portanto, na sua utilidade.

Madeira maciça

Trata-se da própria madeira cortada e preparada no formato da mesa, a totalidade da madeira pode variar bastante de acordo com a origem de um tom bem claro pinus (Pinus Elliottii) a algo bem escuro como o pau-santo (Zollernia Paraensis).

Há várias leis hoje em dia que regulamentam o uso de madeiras naturais e exigem um certificado de origem para garantir a preservação das florestas e matas nativas. Por exemplo, móveis de mogno estão proibidos e, se encontrados, têm um grande regulamentação quanto à origem.

Se você escolher esta opção, preocupe-se com a origem e também com a tratamento dado à madeira, assim garante mais durabilidade e evita possíveis rachaduras. O marceneiro também precisa entender bem sobre tipo de madeira escolhido e ser cuidadoso com a sua preparação.

Outras opções são usar é a madeira de reflorestamento certificada ou madeira de demolição.

As principais vantagens da madeira maçica são a resistência e a durabilidade, já que ela pode ser lixada e ter pequenos arranhões e furos consertados. A contrapartida está no preço; por se tornarem mais raras, tendem a valores mais altos e estão, assim, sendo substituídos por MDP e MDF. Claro que o valor pode variar muito de acordo com a madeira, se ela for de lei certamente será mais cara que uma clássica de reflorestamento.

Sem dúvidas, os móveis de madeira deixam o ambiente acolhedor e aconchegante. Uma ideia é também mesclar elementos: ter os pés da mesa de madeira e o tampo de vidro, ou usar estruturas de metal e tampo de madeira.

MDP: Painel com partículas de média densidade

MDP é a sigla de Medium Density Particleboard ou Painel de Partículas de Média Densidade, sua fabricação contempla 3 camadas de partículas , ou seja, de chips ou cavacos de madeira, geralmente Pinus, sendo as duas camadas externas de partículas “mais justas” e a interna maior e com partículas mais espaçadas. Vale ressaltar que é um material de rápida produção e baixo custo.

Ele tende a ter baixa densidade quando comparado ao MDF, o que leva a 3 principais impactos: a facilidade de montar e desmontar por sofrerem menos com o atrito de parafusos; a empenar menos e ser menos suscetível à umidade.

Já este material apresenta espaços vazios entre as partículas, que são previamente preenchidos, quando a umidade aumenta eles. Isto, por um lado, previne o inchamento da peça e ,por outro lado, dificulta o corte das peças e dão menos flexibilidade para o design, ou seja, peças de MDP são retas e usadas prioritariamente nas estruturas devido à sua resistência.

Um móvel prioritariamente feito de MDP pode ser uma boa opção para sua mesa se você quiser investir pouco.

MDF: Medium Density Fiberboard

MDF significa sigla de Medium Density Fiberboard ou Painel de Fibras de Média Densidade. A principal diferença entre o MDF e o MDP são as fibras ao invés de partículas. A composição contempla fibras de pinus ou eucalipto de reflorestamento que se juntam sob grande calor e pressão, o que o torna mais maciço e homogêneo, como você pode ver na imagem comparativa abaixo:

mdf e mdp

Em uma analogia com alimentos, o MDP seria uma barra de cereais, bem areada no meio e com uma fina cobertura por cima e por baixo, enquanto o MDF seria mais consistente como uma barra de chocolate.

Por ser mais constante e não ter espaço entre suas fibras, o MDF aceita melhor as cortes em diversos sentidos, forma e com acabamento mais detalhado. É, portanto, escolhido para grandes superfícies.

O MDF apresenta um ótimo custo-benefício, devido ao seu acabamento de alta qualidade e bom preço. Pode-se encontrar móveis inteiramente feitos de MDF; ou com estrutura de MDP e superfícies de MDF ou pés de metal com tampo de MDF para um design mais charmoso.

Vidro

 

mesa para home office de vidro

Photo by Benjamin Child on Unsplash

 

O vidro é um elemento que dispensa apresentações, é pode ser uma boa opção para tampo de mesa. Pode ser encontrado facilmente e encaixam bem em ambientes bem diferentes de acordo com a sua cor e o tipo de estruturas usados.

Normalmente, recomenda-se usar o vidro temperado por questões de segurança, já que um tratamento especial reduz as chances de quebra e pode manter o usuário mais seguro em caso de um acidente.

Manter o vidro limpo tende a ser o grande desafio de quem opta por este material, uma vez que as marcas de uso são evidentes. É importante, porém, usar sempre produtos especiais e não abrasivos para evitar danos.

O vidro vai muito bem com estruturas coloridas, cavaletes, armações de metal e também pode ir por cima de uma mesa com tampo de outro material. A combinação dos pés com a cor do tampo permitem que o vidro saia de muito ousado a muito conservador, por exemplo um tampo transparente com pés de cavalete amarelo a uma bancada de metal com tampo de vidro fumê.

Colocar imagens entre o tampo e o vidro pode ser uma estratégia para mudar a decoração fácil e frequentemente.

O vidro pode ser durável, mas sem dúvida é o que exige mais cuidado no seu manuseio. Pode ser uma opção prática e no estilo faça você mesmo.

Metal

Dificilmente você irá encontrar uma mesa toda feita em metal, o que acontece com mais frequência é usar este material como pés ou suporte para o tampo. Isso abre uma grande gama de opções e combinações: metal + MDF, metal + vidro, metal mais escuro ou mais claro; com brilho ou sem brilho, etc.

Esta opção garante segurança, firmeza e durabilidade para mesa de home office, já que deixar o vão embaixo da mesa livre e dá, portanto, a impressão de mais espaço para o ambiente.

Os principais tipos de metal usados em pés de mesa para escritórios são o aço inox, aço cromado, aço carbono. Conheça um pouco mais de cada um:

Aço cromado

O aço cromado tem como principal característica e vantagem o brilho, o que exige mais cuidado na manutenção e produtos especiais na limpeza para se manter bonito, também é resistente. Costumar ter um bom preço, apesar de todo o charme.

Aço inox

Muito durável e prático, o aço inox é uma ótima opção. Parece ser infinito e resistir a qualquer corrosão, mas também precisa de cuidado com materiais abrasivos. Fico bem como pé ou suporte para o tampo.

Aço carbono

Permite ser usado em outras cores além do aço, como preto e branco. A diferença com os outros aços é bem visível, ele tem um efeito fosco. Tende a ser escolhido por quem tem um gosto por peças clássicas sem brilho e de fácil limpeza.

Permite um efeito moderno e clean, além de ter um preço acessível.

 

Você viu todo o caminho para escolher a sua mesa de home office: primeiro entender as principais necessidades e rotina e depois cuidar da ergonomia e altura para ajudar na sua produtividade. Entendido isso, passamos para a escolha da mesa em si, levando em conta os formatos, os tipos e as combinações de materiais nos pés e no tampo.

Resumindo sua mesa e seu home office devem se adequar a você e ao trabalho, não ao contrário.